Acusados de matar fotógrafo são presos em favela de São Bernardo


 

Nacional - 01/08/2003 - 12:37:02

 

Acusados de matar fotógrafo são presos em favela de São Bernardo

Acusados de matar fotógrafo são presos em favela de São Bernardo

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


Dois baleados e presos. Após uma semana de investigações, um cerco e um tiroteio, a polícia deteve dois dos acusados de matar o fotógrafo Luís Antônio da Costa em uma favela no Ferrazópolis, em São Bernardo do Campo, próximo ao terreno invadido. O crime ocorreu no dia 23 na frente da entrada do terreno da Volkswagen invadido por 6 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). O terceiro acusado ainda estava foragido até o fechamento dessa edição. Estão detidos o homem que aparecia nas fotografias vestindo roupa cáqui, portando um revólver prateado, e outro que estava encostado em um Gol com as mãos cruzadas que portava um revolver escuro. O primeiro é Alexandre Silvério, 25 anos, conhecido como Nego Shell, e o segundo, Renato Santos Lira, o Bahia, 23. Ambos reagiram à prisão. Nego Shell foi baleado no rosto e seu estado de saúde era grave. Bahia, que confessou ter atirado e matado o fotógrafo, levou um tiro nas nádegas e se entregou. Ele disse que eles acharam que La Costa tinha fotografado o grupo assaltando o posto de gasolina na frente do terreno. Contrariando depoimento de 11 testemunhas, Bahia disse que pediu a câmera ao fotógrafo e a arma disparou acidentalmente. De acordo com o delegado seccional de São Bernardo do Campo, Marco Antonio de Paula dos Santos, o crime está esclarecido. Faltaria apenas a prisão de um terceiro criminoso, sobre o qual a polícia já tem pistas. O secretário Estadual de Segurança Pública, Saulo Abreu, quer saber se os bandidos acusados de matar o fotógrafo Luis Antonio da Costa são integrantes do grupo de sem-teto acampado em São Bernardo do Campo. “Depois de um roubo a tendência do ladrão é fugir para um local onde não tenha pessoas, (mas ele) vai (foi) exatamente onde há um aglomerado, inclusive de jornalistas. Comete o segundo crime, o homicídio, e corre exatamente para dentro do acampamento com milhares de pessoas, onde alguém poderia interceptá-lo, reconhecê-lo. É inusitado. Estamos investigando e vamos esclarecer tudo, se eram ou não pessoas do acampamento. Mas o fato é que avançamos muito, na medida que já temos os autores do crime nas mãos”, afirmou Saulo Abreu, secretário Estadula de Segurança. PREVENÇÃO – Para evitar invasões, proprietários de terrenos em São Bernardo do Campo estão procurando a Justiça. Ontem uma oficial de Justiça da 4ª Vara Cível da cidade foi ao acampamento da Volkswagem para entregar uma citação de interdito proibitório. A medida é preventiva e impede que, no caso de reintegração de posse, os sem-teto do MTST ocupem outro terreno. A ação prevê multa de R$ 5 mil por dia no caso de invasão. Segundo a advogada do MTST, Eliana Ferreira, líderes do movimento devem ir hoje ao fórum para serem oficialmente notificados. A advogada afirmou que o movimento não tem a intenção de ocupar o terreno. O local não pertence à Volks. ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias




Justificativa eleitoral pode ser feita pela internet


Vagas do Mais Médicos são reabertas


Maioria do TSE rejeita ação do PT contra Bolsonaro


Conselho de Ética arquiva representação contra deputados petistas


Onyx apresenta lista dos 22 ministérios do governo Bolsonaro


Receita e PF apreendem mais de 285 kg de cocaína no Porto de Santos