Artilharia do Exército enfrenta sérios problemas


 

Nacional - 30/12/2007 - 11:17:14

 

Artilharia do Exército enfrenta sérios problemas

Artilharia do Exército enfrenta sérios problemas

 

Da Redação com JB Online

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


O contingenciamento das verbas para o reaparelhamento do Exército deixou a Força em uma delicada situação. Falta artilharia antiaérea. A maior parte das peças de artilharia é da época da Segunda Guerra. Dos 1.437 blindados, 78% têm mais de 30 anos de idade. Os fuzis somam 42 anos de uso, enquanto 58% das 6.676 viaturas têm mais de 20 anos. Segundo o Exército, é preciso renovar 4% do inventário militar por ano. O índice não tem sido atendido. "O Exército está muito aquém da estatura político-estratégica do Brasil", alerta o comandante da Força, general Enzo Martins Peri. Segundo o oficial, as prioridades são a aquisição de blindados, o desenvolvimento de projetos de ciência e tecnologia, a compra de viaturas operacionais e a implantação de brigadas e sistemas de defesa antiaéreo. Também está na lista a obtenção de equipamentos para hospitais de campanha, armamento e munições, equipamentos de comunicações, embarcações, pontes flutuantes, mísseis anticarro e materiais para os batalhões de construção e engenharia. O Exército também mantém projetos em parceria com a indústria nacional. Adquiriu lotes-pilotos para analisar viaturas leves e médias das empresas Agrale, Volkswagen Caminhões e Troller. Há quatro programas para o desenvolvimento de protótipos de radar de vigilância antiaérea, equipamento de visão noturna termal, míssil anticarro e viatura blindada média sobre rodas de transporte de pessoal. Este, em parceria com Fiat/Iveco, deve ser o suplente do Urutu. O Fuzil Automático Leve (FAL) calibre 7,62mm também será substituído progressivamente pelo Imbel MD97L, fuzil nacional leve de assalto calibre 5,56mm. O Exército já adquiriu e distribuiu à Brigada de Operações Especiais o Fz 5,56mm, que é a versão mais curta do mesmo modelo. "Uma indústria de defesa normalmente puxa demais segmentos do parque industrial do país", ressaltou o comandante do Exército naquela ocasião. "Ela desenvolve produtos para inicialmente serem aplicados na área de defesa, mas que são estendidos para todas as utilidades." ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias




Nascidos em março e abril já podem receber Abono Salarial 2017


Sem moeda & sem cartão


Saiba quais são os empregadores que precisam entregar a declaração


FORD não vai mais atuar no segmento de caminhões na América do Sul


USP cancela matrículas de estudantes de colégios militares aprovados pelo Sisu


Horário de verão termina neste domingo em 10 estados e no DF